sábado, 24 de junho de 2017

V Colóquio de Fundamentos dos Direitos Humanos, com Adelaide Alves Dias

Descrição para cegos: foto da professora Adelaide Alves Dias falando no colóquio. Em primeiro plano está a câmera, em cujo visor aparece a imagem em gravação.

O V Colóquio de Fundamentos dos Direitos Humanos, realizado no dia 23 de março de 2017 para a disciplina Jornalismo, Cidadania e Direitos Humanos, do Curso de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba, teve como convidada a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da UFPB, professora Adelaide Alves Dias. Ela é Mestra em Psicologia Social pela instituição e Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense. O Colóquio foi organizado por Allan Nunes, Anderson Santana, Bruno Marinho e Gustavo Alves.

CONFIRA O COLÓQUIO NA ÍNTEGRA

1 - Governo Temer e retrocessos na área de Direitos Humanos
A professora explica as mudanças nas políticas sociais com a chegada de Michel Temer ao poder e as consequentes perdas no âmbito de direitos fundamentais.



quinta-feira, 22 de junho de 2017

Carta de Brasília: Liberdade e Comunicação

69cbc786a973510b236ec70468c09535.png
Descrição para cegos: Imagem da plenária realizada durante o 3º ENDC.
Homens e mulheres com as mãos levantadas em apoio às denúncias e
reivindicações contidas na carta.
   Lançada no 3º Encontro Nacional pelo Direito à Comunicação(ENDC), realizado na Universidade de Brasília por iniciativa do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação(FNDC), a carta foi assinada por mais de 250 ativistas e militantes que reafirmaram o princípio da liberdade de expressão e de imprensa e o direito à comunicação como direitos fundamentais para o alcance de uma sociedade realmente democrática. O documento denuncia as agressões à profissionais de imprensa comprometidos com a ética, a manipulação e a seletividade de informações cometidas pelos grandes veículos de comunicação, a censura e a vigilância na internet. Reafirma, também, as lutas populares, além de reivindicar o Marco Regulatório dos meios de comunicação no país. Leia a carta aqui (Anderson Santana)

terça-feira, 20 de junho de 2017

Knox fala sobre direitos humanos e meio ambiente

Descrição para cegos: foto mostra o relator especial da ONU, Jonh Knox, de pé, falando ao microfone. Atrás dele aparece a mesa do evento onde estão sentados 6 outros convidados.
Em entrevista ao Portal Conectas, o relator especial da ONU, John Knox, comenta sobre o seu mandato e os rumos do Brasil na preservação do meio ambiente e dos direitos humanos. Ele classifica as suas obrigações enquanto relator, cita alguns casos em que os direitos humanos e o meio ambiente trabalham em conjunto na ocorrência de desastres, o papel do Brasil, de pioneiro em acordos à descumpridor dos próprios acordos assinados e futuras medidas de proteção aos defensores ambientais. Para conferir a reportagem completa clique aqui. (Allan Nunes)

domingo, 18 de junho de 2017

Camila Asano discorda dos vetos na Lei de Migração

Descrição para cegos: foto mostra grupo de homens despachando bagagem 
em um ônibus enquanto um funcionário guarda bolsas e malas no bagageiro.
Em entrevista à jornalista Claudia Rocha, do site Brasil de Fato, a coordenadora de política externa da Conectas Direitos Humanos, Camila Asano, critica vetos do presidente Michel Temer à nova Lei de Migração, que ampliaria o acesso aos direitos humanos e desburocratização na regularização de imigrantes no Brasil. Devido aos artigos vetados, os imigrantes não poderão exercer funções públicas e os que já estavam no Brasil até 6 de junho de 2016 perderam o direito à residência. Também foi vetado dispositivo que permitia livre circulação, transpondo fronteiras internacionais, de indígenas nas terras tradicionalmente ocupadas por eles. Acesse a entrevista clicando aqui. (Allan Nunes)

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Uso excessivo da força policial é repudiado

Descrição para cegos: foto mostra um grupo de jovens acuados por policias. No centro aparece um policial levantando um cassetete em direção a um rapaz que levanta a mão tentando evitar o golpe. Outros jovens aparecem na foto como que implorando para a agressão cessar.

O Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) emitiram um comunicado em repúdio ao uso de armas de fogo e da força excessiva policial para contenção em manifestações e operativos de segurança no Brasil no dia 24 de maio, solicitando que sejam feitos esforços para promover o diálogo e proteger o direito à manifestação pacífica em favor da garantia do direito à vida e à integridade pessoal, tendo em vista agressões a manifestantes em Brasília nos protestos pelas eleições diretas, a violência contra trabalhadores rurais no marco do conflito agrário no Pará, e a repressão na reintegração de posse da região da Cracolândia, em São Paulo. Clique aqui para ler (Anderson Santana)

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Entidades fazem união para efetivar Agenda 2030

Descrição para cegos: símbolo e nome da Organização das Nações Unidas (ONU). Abaixo a descrição da campanha em caixa alta: Objetivos de desenvolvimento sustentável. Várias cores em formato circular representam a letra O da palavra objetivos. 
Por Allan Nunes

O IV Seminário sobre a Localização dos ODS no Brasil: Parceria para Integrar, Inovar e Incluir, organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na cidade do Rio de janeiro, foi realizado no último dia 26.
Criada em 2015 pelos países-membros da ONU, a Agenda 2030 pretende ser um plano de ação para as pessoas e para o planeta, fortalecendo a paz universal e a erradicação da pobreza, dentre outros objetivos.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Lei de Migração é aprovada com vetos

 Descrição para cegos: foto de comissão plenária no Congresso Nacional. Homens e mulheres em pé e sentados. No centro, mulher segura um cartaz onde está escrito: “Migrar é um direito”.

Por Anderson Santana

Tendo em vista o atual cenário, com novos imigrantes chegando no Brasil, especialmente refugiados de nações em conflitos, foi sancionada no dia 24 de maio a LEI Nº 13.445, conhecida como a Lei de Migração, que prevê garantias da Constituição de 1988, como a igualdade no acesso aos serviços públicos a todos os residentes no Brasil; ela define os direitos e os deveres do migrante e do visitante no país; regula a entrada e a permanência de estrangeiros; e estabelece normas de proteção ao brasileiro no exterior.

sábado, 10 de junho de 2017

A prisão não ressocializa o “bandido"

Descrição para cegos: foto mostra grade de uma cela superlotada. Há peças de roupa penduradas e alguns presos estão com os braços para fora gesticulando.
Advogado e colunista do portal Justificando, Felipe Haigert Simi discorre sobre o real efeito que a reclusão traz aos encarcerados. Ele lembra que a medida foi adotada no século XIX como solução de reabilitação. Mas demonstra que no Brasil a realidade é bem diferente. O preso, ao invés de passar pelo processo de ressocialização, acaba imergindo na população criminosa, adquirindo mais tendências delinquentes e associações com organizações transgressoras, sem perspectiva de evolução no campo do trabalho e social. Para ler o artigo completo, clique aqui. (Allan Nunes)

quinta-feira, 8 de junho de 2017

O apoio do Brasil nas missões de paz da ONU

Descrição para cegos: foto capturada do vídeo. Nela, está destacada a insígnia de participação de missão de paz no Haiti, de cor escura, em um uniforme do exército.

A ONU Brasil publicou no YouTube um vídeo sobre as operações da ONU no mundo. São mais de 97 mil militares, de 124 nações, e o Brasil é uma delas, contribuindo com 1.279 oficiais. Os agentes prestam serviços de apoio e proteção às populações vulneráveis. O vídeo mostra o preparo que o Brasil dá a seus oficiais, treinados especificamente para cada missão. Também é exibido o depoimento de uma brasileira que participou da missão de paz no Haiti, país com o maior contingente brasileiro em missões da ONU. Para ela, a participação feminina em missões tem um impacto positivo para a sociedade. Para ver o vídeo completo, clique aqui. (Bruno Marinho)

terça-feira, 6 de junho de 2017

Gestão de produtos químicos como garantia à vida

101-034.jpg
Descrição para cegos: cartaz de advertência com a palavra “Perigo”,
inserida em um oval que, por sua vez, está dentro de um retângulo.
Logo abaixo, está escrito “Produtos Químicos”.

    A Diretora da Divisão de Direito da ONU Meio Ambiente, Elizabeth Maruma Mrema, publicou no jornal suíço Le Temps um artigo em que chama a atenção da comunidade global para a necessidade de mudanças urgentes na regulamentação da produção, uso e descarte de produtos químicos, devido às consequências da gestão inadequada que gera contaminação ambiental e riscos à vida humana, matando cerca de 13 milhões de pessoas por ano no mundo. No artigo, também alerta que muitas das substâncias em circulação no mercado internacional não tiveram seus impactos ao meio ambiente e à saúde humana avaliados adequadamente. Clique aqui para ler (Anderson Santana)